quarta-feira, 4 de setembro de 2013

E se você fosse viciado em alface?


Ola meus queridos(as)

Um dia você descobre o alface, e gosta de alface. Torna-se sua salada preferida, no começo junto com um tomatinho, uma cenoura ralada, uma cebola para disfarçar... mas o seu negócio é o alface mesmo! É bom, é saudável; e você feliz da vida com a nova descoberta, como é bom comer alface! Aos poucos, você quase não come mais o agrião, o espinafre (nem lembra mais como é gostoso com ovo), aquela couve refoga é coisa do passado! E se envereda pelo universo alface, vai descobrindo que ama a americana quando esta bem suculenta, a crespa roxa é melhor no inverno (apessar de ser uma fortuna) e a lisa quebra um galho; e depois que experimentou aquele hidropônico então, só ele agora! Dirigi kilômetros em busca do mais fresquinho, e virou amiga de metade dos feirantes do CEASA. Quem foi o gênio que inventou o alface hidropônico? Preciso dar meus parabéns...

Com o tempo é alface no almoço, na janta e escalou, no café da manhã! O resto das pessoas começam a achar você um pouco excêntrica, meio maluca mas poxa, alface é super saudável né? Faz bem... Só escolhe restaurantes com os melhores alfaces, e já chegou a andar com um pé na bolsa (vai que... não tem alface né?).

Brincadeiras a parte meus queridos, não é o objeto do seu "vício" que é relevante, mas o comportamento obsessivo/compulsivo! É como se você passasse metade do seu dia comendo alface e a outra metade pensando nele... é saudável? O alface em si, até pode ser, mas o seu comportamento, a sua relação com ele não é. Todos nós, pessoas, desenvolvemos em algum momento, por algum motivo alguma relação com algo ou alguém não saudável... e como é difícil quebrar esse ciclo! As vezes, e sem muito sucesso, esse ciclo é quebrado por fatores externos (você só come alface e esta desnutrida e colocam uma sonda gástrica para você se alimentar), apenas uma medida paliativa que resolve o aqui, agora já...mas e o lá, amanhã, depois? O ciclo precisa ser quebrado de dentro para fora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário